Hospitalar 2022: Congresso Internacional de Serviços de Saúde aborda as megatendências internacionais e os desafios do mundo no pós-pandemia

De jaqueline

O encontro vai reunir especialistas do Brasil e do Exterior para falar sobre o futuro do setor na era pós-covid 19 e os rumos da revolução tecnológica desencadeada pela crise sanitária.

Passados dois anos de pandemia, o Congresso Internacional de Serviços de Saúde (CISS) vai promover nos dias 18 e 19 de maio o primeiro evento presencial para analisar a experiência da crise sanitária no setor de saúde dentro da programação da 27ª Hospitalar, o mais importante evento de saúde e principal plataforma de geração de negócios e networking do setor na América Latina. Sob o tema “Saúde e o mundo pós-pandemia”, o CISS 2022 vai reunir 23 especialistas do Brasil e outros quatro países — Argentina, Estados Unidos, Espanha e França –, para debater o impacto da crise sobre a assistência hospitalar e os rumos da saúde suplementar, da acreditação e da segurança do paciente. Também vai lançar um olhar sobre as consequências da aceleração tecnológica sobre a área assistencial.

“Será um encontro de retomada de atividades, totalmente presencial, com convidados vindos de várias regiões, num cenário de dúvida, porque a Organização Mundial de Saúde ainda não decretou o fim da pandemia”, avalia o médico Fábio Gastal, coordenador científico do CISS, superintendente de Novos Negócios Seguros Unimed, diretor Acadêmico da Faculdade Unimed e presidente do Conselho de Administração Organização Nacional de Acreditação (ONA). Na sua opinião, será um momento importante do ponto de vista emocional, porque reunirá todos os players da saúde como presidentes de entidades, representantes de órgãos governamentais, dirigentes de hospitais, laboratórios, indústrias, de operadoras e seguradoras de planos de saúde e instituições de pesquisa.

“A crise sanitária destacou a liderança, o sacrifício e o compromisso do setor saúde para enfrentar em tempo recorde um duplo desafio de enormes proporções, o colapso da assistência na hospitais e a adaptação dos modelos tradicionais de atenção”, declarou Carlos Zarco, diretor médico do Hospital Universitário Moncloa, do Grupo HLA, na Espanha. Ele é um dos convidados internacionais do CISS ao lado de Ezequiel García Elorrio (presidente eleito da ISQua), Christopher Coburn (diretor de inovação do Mass General Brigham, nos Estados Unidos), Jean-Patrick Lajonchère (diretor geral do Grupo Hospitalar Paris Saint-Joseph e embaixador do French Healthcare do Ministério de Relações Exteriores da França) e David Fernandes Rodriguez (Co-CEO da Transmural Biotech, na Espanha).

O coordenador científico do CISS 2022 ressalta que, por outro lado, o evento será um momento emocionalmente muito importante, porque reunirá todos os players da saúde nas discussões setoriais. Entre esses estão lideranças do setor, presidentes de entidades, representantes de órgãos governamentais, dirigentes de hospitais, laboratórios, indústrias e de operadoras e seguradoras de planos de saúde e instituições de pesquisa. O encontro é uma realização da Hospitalar em parceria com a International Society for Quality in Health Care (ISQua) e a ONA. Para ver a programação completa do CISS, clique aqui. Os ingressos para o congresso podem ser adquiridos pelo portal da Hospitalar.

Assistência hospitalar

O CISS dedica o primeiro dia de sua programação, em 18 de maio, ao futuro da assistência hospitalar, da saúde suplementar, das operadoras de saúde, da acreditação, da qualidade em saúde e da segurança do paciente. O encontro será aberto às 9h30 com a palestra do executivo norte-americano Christopher Coburn, diretor de Inovação da Mass General Brigham, maior empresa de pesquisa acadêmica dos Estados Unidos.

Às 10h15, começará o painel sobre o futuro da assistência hospitalar no Brasil e no mundo. O presidente da Central Nacional Unimed, Luís Paulo Tostes Coimbra, falará sobre “Os hospitais e serviços de saúde em grandes sistemas assistenciais nacionais”. Em seguida, o presidente da Federação Brasileira de Hospitais (FBH), Adelvânio Francisco Morato, discorrerá sobre “Os hospitais e serviços privados independentes, a saúde suplementar e o SUS”. Por fim, a diretora de corporativa de Qualidade e Segurança do Paciente do Hospital e Rede Santa Catarina, Camila Sardenberg, abordará “As redes hospitalares privadas, a saúde suplementar e o SUS”. A moderação ficará a cargo da gerente operacional da ONA, Gilvane Lolato.

Às 13h15, o segundo painel abordará o futuro da saúde suplementar e das operadoras de saúde no Brasil, por meio de três perspectivas: a das seguradoras, das empresas de medicina de grupo e do Sistema Unimed. As palestras serão dadas respectivamente por Vera Valente (diretora executiva da Fenasaúde), Renato Casarotti (presidente da Abramge – Associação Brasileira de Planos de Saúde) e Omar Abujamra Junior (presidente da Unimed do Brasil). A diretora da Health Search Brasil Americas (HSB/A), Audrey Rippel fará a moderação.

O futuro da acreditação, da qualidade em saúde e da segurança do paciente será tema às 14h45 do terceiro painel. O superintendente técnico da ONA, Péricles Góes da Cruz falará sobre “Os novos modelos de avaliação externa da Qualidade e da Acreditação”. A gerente de Qualidade da rede Américas Serviços Médico, Elenara Ribas, discorrerá sobre “A visão dos hospitais e das redes assistenciais e a acreditação”. O presidente da Sociedade Brasileira para a Qualidade do Cuidado e Segurança do Paciente (Sobrasp) e coordenador executivo Proqualis Fiocruz, Victor Grabois, fará a palestra “A visão das entidades e sociedade para promover a segurança do paciente e a acreditação”. O superintendente administrativo e financeiro da ONA André Ruggiero será o moderador.

Às 16h15, a programação terminará com a palestra “Impactos e perspectivas para saúde na França no pós-pandemia: aprendizado e novas prioridades”, com diretor geral do Grupo Hospitalar Paris Saint-Joseph, Jean-Patrick Lajonchère, embaixador do French Healthcare do Ministério de Relações Exteriores da França.

Saúde e tecnologia

No dia 19, o CISS 2022 vai trazer as experiências internacionais para discutir vários aspectos da tecnologia — desde o processo de desenvolvimento, passando pelo movimento das startups e as inovações na saúde até chegar à incorporação dos novos recursos no setor. A palestra de abertura “Desafios para a qualidade do cuidado e para a segurança do paciente na era pós pandêmica” será dada pelo presidente eleito da ISQua, Ezequiel García Elorrio, que também é diretor Administração e Finanças do Departamento de Qualidade, Atenção Médica e Segurança do Paciente do Instituto de Efectividad Clínica y Sanitaria (IECS), em Buenos Aires, na Argentina. Todos os painéis e palestras terão moderação do coordenador científico do congresso, Fábio Gastal.

“A aceleração da inovação em saúde: experiências de sucesso” será tema do primeiro painel que será aberto às 10h30 com a palestra “Aceleração e fundos financeiros para saúde”, dada pelo Cristiano Englert, Investidor anjo e head do programa vertical na saúde HealthPlus Centro de inovação Tecnopuc. Em seguida, o assunto será a inovação. O CEO da UNIODigital, Armando Bucchina, falará sobre a “Inovação em TICs”. A diretora executiva do Movimento Brasil Competitivo (MBC), Tatiana Ribeiro, abordará a “Inovação e transformação como estratégia nacional”. O sócio líder do setor de Life Sciences & Health Care da Deloitte Brasil, Luís Fernando Joaquim, vai enfocar a “Inovação e transformação em saúde: o futuro”.

Às 13h30, os “Sistemas inovadores de gestão de redes hospitalares e sua importância no enfrentamento de pandemias” serão tema da palestra do médico espanhol Carlos Zarco, diretor-geral da Fundación Espriu, presidente da Organização Cooperativa Internacional de Saúde e diretor médico do Hospital Universitário Moncloa, na Espanha. Às 14h30, o gerente geral da Transmural Biotech, na Espanha, David Fernandes Rodriguez, falará sobre “Inteligência Artificial no apoio aos processos de diagnósticos de precisão”.

A programação será encerrada com a palestra “A mortalidade por Covid-19 no Brasil e os impactos do negacionismo”, a ser proferida a partir das 15h30 pelo médico Carlos Starling, coordenador dos Serviços de Controle de Infecções Hospitalares dos Hospitais Vera Cruz, Baleia, Life Center e membro do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 da Prefeitura de Belo Horizonte, em Minas Gerais.

Veja também