Mercado farmacêutico online cresce e impulsiona companhia do setor

De jaqueline

Pioneira em gestão de benefícios em medicamentos no Brasil, a epharma cria novo modelo de negócios que beneficia 30 milhões de usuários

Meta da empresa é dobrar de tamanho em 2 anos

O mercado farmacêutico deverá crescer 10,13% este ano, segundo o Sindusfarma (Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos) e as vendas on-line, que dobraram entre 2019 e 2020, deverão seguir em alta, segundo especialistas do setor. Neste contexto, a epharma anuncia sua nova proposta de valor, após uma reestruturação completa do portfólio e o lançamento de uma plataforma phygital, que une as experiências de compras de produtos e serviços de saúde no ambiente físico e digital para as 30 milhões de pessoas beneficiadas por sua rede de atuação. Com a nova estratégia, a meta da empresa é dobrar de tamanho nos próximos 2 anos.

“Com o lançamento da epharmaStore, uma plataforma Phygital prevista para os próximos meses, o consumidor pode comprar nas redes de farmácias credenciadas presencialmente ou on-line, sempre obtendo o desconto de beneficiado como, por exemplo, pelo seu plano de saúde ou pelo laboratório farmacêutico. Até então, o benefício valia apenas para as compras no balcão da drogaria”, explica Eduardo Mangione, CEO da epharma .

“Nesse novo formato, vemos a possibilidade de engajarmos muito mais os usuários dos nossos clientes e parceiros, junto às redes parceiras e alcançarmos um novo público, sobretudo os jovens, que preferem a comodidade das compras digitais. O objetivo final é promover uma nova experiência aos consumidores, com acesso mais direto aos múltiplos benefícios que entregamos”, complementa o executivo.

Com mais de 20 anos de atuação, epharma une os ecossistemas de tecnologia e saúde, conectando indústrias farmacêuticas, farmácias e drogarias, startups, setor público e empresas privadas de diversos segmentos. Foi pioneira ao lançar o PBM – Plano de Benefícios de Medicamentos no país em 2000. Atualmente, conta com mais de 30 mil farmácias e 1,3 mil clínicas e laboratórios credenciados, com uma carteira composta de grandes marcas, dentre elas, a Vale S.A.

A chegada de Mangione, em 2020, vindo de uma vasta experiência com bens de consumo, e-commerce e varejo farmacêutico, impulsionou o desempenho da empresa para crescer mais de 50% e com meta de dobrar nos próximos dois anos. Com uma receita bruta de mais de R$ 100 milhões em 2020, a ePharma visa superar os R$ 750 milhões de economia registrados em 2020, na compra de medicamentos para os beneficiados.

As inovações vêm acompanhadas da mudança de marca da empresa, que reflete a nova estratégia e o novo posicionamento no mercado: mais do que uma plataforma de benefícios de medicamentos, torna-se um elo que oxigena todo ecossistema da saúde.

“Durante o meu primeiro ano na gestão, minha missão foi ressignificar a ePharma. Esse período de reestruturação foi importante para implementarmos uma nova cultura digital semelhante as usadas em healthtechs, adotando metodologias ágeis e com foco no crescimento acelerado. Estamos em pleno movimento para ampliar nossa atuação B2B para um olhar B2B2C, buscando otimizar as jornadas dos clientes dos nossos clientes para melhorar as experiências e tirar as fricções que diminuem o engajamento dos beneficiários. Desta forma, recriamos a empresa da expêriencia do usuário final para trás, inovando nosso portfólio de maneira descentralizada e prestando um serviço muito mais consultivo e customizado”, finaliza o CEO.

Principais números

• Mais de 30 mil farmácias em sua base
• 1,3 mil clínicas e laboratórios de diagnóstico
• 360 colaboradores
• 30 milhões de brasileiros beneficiados
• Receita em 2020: R$ 107 milhões de receita bruta
• Economia na compra de medicamentos em 2020: R$ 750 milhões
• Mais de R$ 3bilhões/ano em transações financeiras no mercado de varejo farmacêutico (PMB – IQVIA)

Veja também