Atendimentos via telemedicina para casos de Influenza e COVID-19 crescem mais de 100% no final do ano

De jaqueline

Números registrados pelos associados da Saúde Digital Brasil, que representam 90% do mercado privado de telessaúde no país, são semelhantes aos do pico da pandemia em março de 2021 e são alarmantes

Na semana das festas de final de ano, os números de atendimentos por telemedicina para casos de Influenza e COVID19 entre os associados da Saúde Digital Brasil dispararam, saltando de 7 mil para 15 mil, nos últimos sete dias. A Associação Brasileira de Empresas de Telemedicina e Saúde Digita, organização sem fins lucrativos que congrega entidades que atuam na cadeia de prestação de serviços de telemedicina, representam 90% deste mercado no Brasil.

Segundo Caio Soares, presidente da Saúde Digital Brasil, esses números são alarmantes e demandam cuidados redobrados por parte da população, sendo inclusive bastante semelhantes aos números de atendimentos registrados em pleno o pico da pandemia, em março de 2021. Esses números observados entre os associados também coincidem ao número de hospitalizações de casos suspeitos de Covid19 no Município de São Paulo, que segundo nota do Observatório COVID BR tem crescido rapidamente desde o início de dezembro.

O especialista explica quem a telemedicina,  além de desafogar o sistema de saúde e evitar tanto a subutilização de especialistas quanto a superutilização do sistema, pela agilidade que proporciona e pelo volume de dados que registra, consegue evidenciar, do ponto de vista populacional, os movimentos que acontecem de saúde e o adoecimento com alguma antecedência. O que, nesse caso, é bem preocupante.

“Isso tem se mostrado bastante verdadeiro durante a pandemia toda e nos coloca mais uma vez em alerta. Realizando uma análise estatística com base nas curvas de crescimento dos atendimentos via telemedicinano caso da Covid19, por exemplo, percebemos que eles permitem antecipar a informação entre cinco e sete dias em relação ao que é observado no presencial. Ou seja, se já há uma tendência crescente antes das festas, imagine durante este período em que as pessoas tendem a relaxar com os cuidados”, ressalta Soares.

Desta forma, evitar o máximo aglomerações, seguir com os cuidados de higiene, uso de máscaras, a vacinação segue sendo muito importante neste mimento. Além disso, procurar um médico e realizar o teste sempre que tiver sintomas ou contato com contaminados também é importante para o controle e combate a pandemia.

Veja também