Número de internação por trombose venosa aumenta no Brasil; médico explica

De jaqueline

Dados alarmantes revelam que mais de 489 mil brasileiros foram hospitalizados para tratar tromboses venosas entre janeiro de 2012 e agosto de 2023. Nos primeiros oito meses do ano passado, em média, 165 pessoas foram internadas diariamente na rede pública para lidar com esse problema, conforme o levantamento feito pela Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular Nacional (SBACV) com base nos dados obtidos pelo Ministério da Saúde.

Mas o que é trombose venosa?

cirurgião vascular e angiologista Fábio Rocha explica que a trombose venosa consiste na formação de coágulos, também chamados de trombos, que são capazes de obstruir ou prejudicar o fluxo sanguíneo nas veias.

“A doença pode atingir as veias que estão logo abaixo da pele, ou veias mais profundas, no interior dos músculos — o que chamamos de trombose venosa profunda. Esse processo resulta em inchaço na região das pernas, mas também pode se desenvolver nos braços.”

A trombose venosa é perigosa, pois o coágulo de sangue, que inicialmente se originou em uma veia, pode se desprender e percorrer a corrente sanguínea.

“Geralmente, o trombo segue em direção aos pulmões, podendo progredir para uma situação crítica conhecida como embolia pulmonar e/ou tromboembolismo pulmonar (TEP), o que pode ser fatal para o paciente”, explica o médico.

Como identificar os sintomas?

O profissional orienta que a sensação de cansaço nas pernas não é o único sintoma. Existem outros sinais que podem indicar a formação de coágulos nas veias. São eles:

  • Inchaços nas pernas, que costumam se agravar com o tempo;
  • Dor repentina em um dos membros inferiores, que vai ficando mais intensa gradualmente;
  • Vermelhidão na perna afetada;
  • Pele mais dura que o normal;
  • Dilatação das veias, tornando-as mais visíveis sob a pele.

Quais os fatores de risco?

A trombose venosa é mais comum em pacientes acima dos 40 anos, e o risco aumenta conforme a idade avança.

Os fatores contribuintes para o desenvolvimento da trombose venosa são:

  • Histórico de infarto;
  • Acidente Vascular Cerebral (AVC);
  • Insuficiência cardíaca congestiva;
  • Doença pulmonar;
  • Pessoas que passaram por cirurgias, especificamente nos joelhos ou quadril;
  • Traumatismos;
  • Infecções graves;
  • Quimioterapia;
  • Estilo de vida sedentário;
  • Fumantes;
  • Pessoas acima do peso;
  • Trombose venosa: causas, sintomas e tratamentos.

Quais são os tratamentos?

Fábio Rocha explica que o tratamento da trombose venosa depende da gravidade do caso e pode variar de acordo com o tipo da doença.

“Enquanto, em alguns casos, o uso de medicamentos anticoagulantes prescritos pelo médico é suficiente, situações mais sérias podem demandar até mesmo uma intervenção cirúrgica. Por essa razão, quando houver a suspeita de um coágulo nas pernas, a orientação é procurar um especialista em angiologia e cirurgia vascular o mais rápido possível.”

Doutor Fábio Rocha

cirurgião vascular Fábio Rocha oferece um atendimento humanizado, eficaz e altamente especializado.

Ele se formou em Medicina, em 2002, na USP (Universidade de São Paulo, campus de Ribeirão Preto) e, posteriormente, fez a residência médica em Cirurgia Geral no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto. Em 2005, ingressou na especialidade que exerce até hoje: Angiologia e Cirurgia vascular.

Após o término da especialização, em 2009, quando já atuava como cirurgião vascular em Ribeirão Preto, desenvolveu um modelo experimental inédito de “Aneurisma de Aorta Abdominal” e recebeu um importante reconhecimento durante o “Congresso Brasileiro de Angiologia e Cirurgia Vascular”. Junto ao Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina da USP, conquistou o primeiro lugar na principal categoria de trabalhos apresentados.

Desde 2018, desenvolve um trabalho de extrema importância junto ao SUS em diversas cidades do estado de São Paulo. Esse projeto transforma vidas, devolvendo a saúde, a dignidade e a qualidade ao dia a dia de inúmeros pacientes. Bastante reconhecida no meio médico, essa iniciativa vem ganhando cada dia mais visibilidade e já vem sendo realizada em outros estados do Brasil.

Veja também